Petrobras. Relacionamento com Investidores

Petrobras

Relações com Investidores

Mudança no Conselho de Administração e na Presidência

Rio de Janeiro, 22 de julho de 2005 – PETRÓLEO BRASILEIRO S/A - PETROBRAS, [Bovespa: PETR3/PETR4, NYSE: PBR/PBRA, Latibex: XPBR/XPBRA], uma companhia brasileira de energia com atuação internacional, comunica que, nesta data, nos termos do Art.25 do seu Estatuto Social o Conselho de Administração aceitou a carta de renuncia do Conselheiro e Presidente da Companhia Sr. José Eduardo Dutra, nomeou para substituí-lo, no
Conselho e na Presidência da companhia o Sr. José Sérgio Gabrielli de Azevedo, atual Diretor
Financeiro e de Relações com Investidores.

O Sr. José Eduardo Dutra está no exercício da Presidência da Companhia desde 2 de janeiro de 2003. Durante sua gestão a companhia atingiu índices recordes de lucratividade e geração de caixa, e a produção no Brasil atingiu a média mensal recorde de 1.755 milhão de barris diários em junho/05. Foi contratada a construção de quatro novas plataformas que deverão permitir a companhia a alcançar a produção de 2.300 mil barris diários até 2010. Na área internacional a companhia concluiu o processo de acquisição da Perez Companc, atual Petrobras Energia, consolidando sua posição na América Latina, e expandiu também no Golfo
do México, África e Oriente Médio. Resolveu diversas pendências trabalhistas, algumas decorrentes ainda da greve de 1995, e encaminhou a solução do problema do déficit atuarial do Fundo de Pensão Petros. O Plano de Negócios para os próximos cinco anos está concluído e deverá ser apreciado na próxima reunião do Conselho de Administração. Defensor do monopólio quando foi votada a Emenda Constitucional de 1995, hoje declara:

“Se eu voltar ao parlamento e tiver uma emenda propondo a situação anterior voto contra. Aquele cenário catastrofista que acreditava que ia acontecer não se confirmou. Quando foi quebrado o monopólio, a Petrobras produzia 600 mil barris por dia e tinha 6 bilhões de barris em reservas. Dez anos depois produz 1,8 milhão de barris por dia e tem reservas de 13 bilhões. Venceu a realidade, que muitas vezes é bem diferente da idealização que a gente faz dela.”

José Sérgio Gabrielli de Azevedo tem 55 anos e é professor titular licenciado da Universidade Federal da Bahia. Exerce o cargo de Diretor Financeiro e de Relações com Investidores da Petrobras desde 1º de Fevereiro de 2003, com responsabilidade pelas Gerências Executivas de Contabilidade, Finanças, Financiamento de Projetos, Investidores, Planejamento Financeiro
e Tributário.

É membro do Conselho de Administração da Petrobras Energía Participaciones S.A. (PEPSA) e da Petrobras Energia S.A. (PESA).

Durante sua gestão na Diretoria Financeira da Petrobras, recebeu os seguintes prêmios:

• Executivo de Finanças 2004 pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (IBEF) - Prêmio O Equilibrista;
• XX Prêmio ANEFAC Profissionais do Ano de 2004: recebeu o Prêmio como destaque de finanças;
• International Stevie Business Awards 2005: Melhor Executivo de Finanças da América Latina.

No mesmo período a Petrobras conquistou diversos prêmios, entre os quais destacamos:

• o Troféu Transparência 2004, como a empresa mais transparente do Brasil conferido pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac);
• Melhor Programa de Relações com Investidores para Investidores Individuais atribuídos anualmente pela publicação americana Investor Relations Magazine;
• Prêmio "Respeito ao Investidor Individual" – por oferecer tratamento diferenciado ao  acionista pessoa física, fornecido pela Tradenetwork;
• International Stevie Business Awards 2005 : “Melhor Companhia da América Latina”. José Sérgio Gabrielli, novo membro do Conselho de Administração e Presidente da Petrobras, formou-se em Economia pela Universidade Federal da Bahia, com mestrado na mesma instituição com dissertação sobre Incentivos Fiscais e Desenvolvimento Regional. Em 1987, obteve o título de PhD em Economia pela Boston University, com dissertação sobre o Financiamento das Estatais no período de 1975 a 1979. No período de 2000 a 2001 foi "Visiting Research Scholar" na London School of Economics and Political Science.

Foi pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação, diretor da Faculdade de Ciências Econômicas e  coordenador do Mestrado em Economia da Universidade Federal da Bahia; e superintendente
da Fundação de Apoio a Pesquisa e Extensão (Fapex); é autor de diversos artigos e livros sobre reestruturação produtiva, mercado de trabalho, macroeconomia e desenvolvimento regional. Atualmente é professor titular licenciado da Universidade Federal da Bahia.

Última atualização em 

Close