Relacionamento com Investidores
Rio de Janeiro, 31 de março de 2014 – Petróleo Brasileiro S.A. – A Petrobras informa que a produção total de petróleo e gás natural da Petrobras no Brasil, em fevereiro, foi de 2 milhões 327 mil barris de óleo equivalente por dia (boed), 0,7% acima do volume produzido em janeiro, que foi de 2 milhões 310 mil boed. Incluída a produção operada pela Petrobras para seus parceiros no Brasil, o volume de fevereiro chegou a 2 milhões 476 mil boed, indicando um aumento de 1,5% na comparação com o mês anterior (2 milhões 438 mil boed). 

A produção exclusiva de petróleo da Petrobras no Brasil em fevereiro atingiu a média de 1 milhão 923 mil barris/dia (bopd), superando em 0,3% a produção do primeiro mês de 2014, quando foram produzidos 1 milhão 917 mil bopd. Incluída a parcela operada para as empresas parceiras, a produção de petróleo, no Brasil, chegou a 2 milhões 21 mil bopd, 1,2% acima do volume de janeiro (1 milhão 997 mil bopd).


Recordes no pré-sal

A produção média mensal de petróleo dos campos localizados na chamada província do Pré-sal, nas bacias de Santos e Campos, atingiu, em fevereiro, a média mensal recorde de 385 mil bopd, 7,5% acima do recorde anterior, registrado em janeiro (358 mil bopd). No dia 27, foi batido o recorde diário de extração do pré-sal, com 412 mil bopd.

Em fevereiro, entrou em operação no campo de Sapinhoá, no pré-sal da Bacia de Santos, o primeiro poço interligado a uma boia de sustentação de riser (BSR), o SPS-77, ligado ao FPSO Cidade de São Paulo. O poço vem apresentando excelente desempenho, configurando-se, atualmente, como o melhor poço produtor do Brasil, e contribuiu para os recordes mensal e diário em fevereiro, com produção de aproximadamente 36 mil barris de óleo por dia. Outras três BSRs serão instaladas ainda no primeiro semestre deste ano, e possibilitarão a continuidade do crescimento da produção da camada pré-sal por meio da interligação de oito novos poços produtores nos FPSOs Cidade de São Paulo e Cidade de Paraty. Dessa forma, a capacidade máxima de produção e processamento dessas unidades será alcançada até o terceiro trimestre do ano.


Nesses resultados e na projeção para o ano de 2014 estão sendo incorporadas melhorias de desempenho operacional, com impacto positivo no ritmo de implantação dos projetos, como:

• Recorde na redução do tempo de construção de poços (109 dias): realizado no poço SPH-05, em lâmina d´água de 2.126 metros e com profundidade total de 5.334 metros, cuja perfuração teve duração de 60 dias e completação de 49 dias. Essa performance representa um novo recorde para as operações de perfuração e completação no pré-sal, uma vez que o poço concluído com maior rapidez anteriormente havia sido o SPH-4 em 135 dias.

• Instalação da segunda BSR, no FPSO Cidade de Paraty, concluída em apenas um terço do tempo que foi dispendido na instalação da primeira BSR, no FPSO Cidade de São Paulo (redução de 165 para 50 dias).


Paradas de produção temporárias

No mês de fevereiro teve início o processo de desmobilização do FPSO Brasil, no campo de Roncador, cuja produção está sendo finalizada nesta segunda-feira (31/3). Os poços serão sucessivamente remanejados para outras plataformas (P-52 e P-54) que operam no mesmo campo, o que deverá ocorrer até o quarto trimestre de 2014.

Também na Bacia de Campos permaneceu interrompida a produção na plataforma P-20, no campo de Marlim, para efetuar reparos nos danos causados pelo incêndio no sistema de produtos químicos da plataforma. Essa interrupção na produção fez a empresa deixar de produzir cerca de 22 mil bopd. A previsão de retorno é nos próximos dias, após recebimento de todos os laudos e autorizações para reabertura da produção, o que já foi obtido junto à entidade classificadora DNV (Det Norske Veritas) e à Marinha.

O crescimento da produção reportado em fevereiro foi possível mesmo com essas perdas temporárias, além de paradas de produção para manutenção das plataformas PCE-1, no campo de Enchova, e FPSO Cidade de Anchieta, no campo de Baleia Azul, ambos na Bacia de Campos. 


Novos poços produtores em fevereiro

Dentre os novos poços que iniciaram produção em fevereiro, destacam-se:

- O poço ABL-78, no campo de Albacora Leste, com 12 mil bopd, produção 43% acima do potencial previsto;

- O poço PRM-09, que permitiu que o campo de Piranema alcançasse o recorde diário de produção de 14,8 mil bopd;

- O poço MRL-220, no campo de Marlim, que agregou 6,8 mil bopd à produção.

Além desses, outros três poços iniciaram operação no campo de Bijupirá-Salema, operado pela Shell, e no dia 23 iniciou-se a produção do campo de Araracanga, na Unidade Operacional do Amazonas (UO-AM), produzindo 400 mil m3/d de gás natural e elevando a produção de líquidos em 100 bopd.


Produção de gás natural

Em fevereiro foram produzidos 64 milhões 85 mil metros cúbicos diários (m³/d) de gás natural no Brasil, indicando um aumento de 2,5% sobre janeiro, quando foram extraídos 62 milhões 517 mil m³/d. Incluída a parcela operada pela Petrobras para as empresas associadas, o volume alcançou 72 milhões 344 mil m³/d e foi 3,1% acima do nível atingido no mês anterior.


Potencial e Eficiência Operacional

O menor declínio do potencial de produção dos campos de Baleia Azul (FPSO Cidade Anchieta) e Jubarte (P-57) contribuiu para os resultados obtidos no mês de fevereiro.

Da mesma forma, a destacada eficiência operacional das unidades de produção P-53 (Marlim Leste), P-52 e P-54 (Roncador), que apresentaram valores de 99,8%, 99,1% e 99,2%, respectivamente, também contribuiu de forma relevante para a produção no mês de fevereiro.


Elevação da produção ao longo de 2014

No último dia de 2013 entrou em produção a plataforma P-55, no Módulo 3 do campo de Roncador, com capacidade de produzir até 180 mil bopd. Continuam em andamento os trabalhos para interligação de novos poços.

No dia 17 de março entrou em produção, no Parque das Baleias, na porção Capixaba da Bacia de Campos, a plataforma P-58, por meio do poço 7-BFR-7-ESS, produtor de reservatório do pré-sal. Esse poço vem apresentando excelente produtividade, com 20 mil barris por dia. Dois novos poços de igual potencial deverão entrar em produção no mês de abril. Com capacidade para 180 mil barris/dia, a P-58 está instalada a cerca de 85 km da costa do

Espírito Santo, em águas com profundidade de 1.400 metros. A ela serão interligados, nos próximos meses, um total de 15 poços produtores, dos quais oito do pré-sal e sete do pós-sal, e nove poços injetores, por meio de 250 km de dutos flexíveis e dois manifolds submarinos (equipamentos que transferem o óleo dos poços para a plataforma).

Também no mês de março, iniciou-se a produção do poço JUB-45, conectado ao FPSO Capixaba, com potencial de produção de 18,5 mil bopd. No mesmo mês, teve início a injeção de água no campo de Papa-Terra, localizado ao Sul da Bacia de Campos, por meio da plataforma P-63.

Ainda no primeiro semestre deste ano, começarão a produzir, no pós-sal da Bacia de Campos, as plataformas P-62, no campo de Roncador, com capacidade de 180 mil bopd, e a P-61, no campo de Papa-Terra, que será interligada à plataforma semissubmersível SS-88, unidade de apoio do tipo Tender Assisted Drilling (TAD), que já está no Brasil.

Essas plataformas contribuirão para o crescimento sustentável da produção ao longo de 2014 de 7,5% +/- 1%, conforme previsto no Plano de Negócios e Gestão 2014-2018.


Produção no exterior

A extração total de petróleo e gás natural no exterior, em fevereiro, foi de 206.712 boed, correspondendo a um aumento de 2,5% em relação aos 201.653 boed produzidos no mês anterior. A produção exclusiva de petróleo foi de 115.279 bopd, 2,5% acima dos 112.462 bopd, produzidos em janeiro.

Esse aumento resultou da entrada em produção dos poços CA-6 e CH-5, nos campos de Cascade e Chinook, no Golfo do México, EUA. Esses dois campos juntos produziram em fevereiro 21.594 bopd contra 15.900 bopd em janeiro (parcela Petrobras). Os campos de Cascade e Chinook ainda estão em desenvolvimento e produzem por meio do primeiro FPSO instalado no Golfo do México americano, com capacidade de produção de 80.000 bpd.

A produção de gás natural no exterior foi de 15 milhões 534 mil m³/d, 2,5% acima do volume produzido no mês de janeiro, que foi de 15 milhões 154 mil m³/d, devido ao aumento da demanda do gás boliviano pelo mercado brasileiro.

Acrescentando o volume do exterior, a produção total da Petrobras de petróleo e gás em fevereiro chegou a 2 milhões 534 mil boed, 0,9% acima do volume extraído em janeiro, que foi de 2 milhões 512 mil boed.


Produção total informada à ANP

A produção total informada à ANP foi de 8.562.438 m³ de óleo e 2.133.196 mil m³ de gás em fevereiro de 2014. Esta produção corresponde à produção total das concessões em que a Petrobras atua como operadora. Não estão incluídos os volumes do Xisto, LGN e produção de parceiros onde a Petrobras não é operadora.
 


 

 
 

 

Índice de Sustentabilidade da Dow JonesA Petrobras é signatária do Pacto Global da ONU desde 2003 Petrobras adere ao Pac to Global da ONU